conecte-se conosco

Mundo

Trump insinua que mulheres que acusam indicado à Suprema Corte estariam mentindo

Avatar

Publicado

em

Em coletiva, presidente admitiu que poderia retirar nomeação de Brett Kavanaugh caso seja convencido por depoimentos de mulheres que o acusam de comportamento sexual abusivo. Mais de uma vez, porém, ele defendeu juiz e disse que caso é ‘golpe’ armado pelos democratas.

O presidente dos EUA, Donald Trump, voltou a insinuar nesta quarta-feira (26) que as mulheres que acusam seu indicado à Corte Suprema, o juiz Brett Kavanaugh, de comportamento sexualmente abusivo estão mentindo.

Em uma entrevista coletiva, Trump foi perguntado ao menos duas vezes se considerava as três mulheres mentirosas. Na primeira vez ele disse “sim”, mas da segunda, ao ser questionado por uma repórter mulher, não foi tão direto: “não posso dizer até ouvi-las. A terceira eu nem sei o que disse, estive muito ocupado, mas sei que o advogado dela é o pior tipo de pessoa. As outras não sei, vou ouvir o testemunho delas. É possível que elas sejam convincentes”.

O presidente chegou, inclusive, a admitir que poderia desistir da nomeação caso seja convencido de que as acusações sejam verdadeiras. “Eu sempre posso ser convencido”, disse. “Se eu considerar que ele é culpado de algo sim, com certeza. Eu quero ver. Eu quero observar”.

Por diversas vezes, porém, ele afirmou que Kavanaugh é “um dos melhores homens que já conheceu” e que as acusações são uma manobra dos democratas para impedir sua nomeação. Também por mais de uma vez, Trump usou o termo “big fat con job” – algo como “golpe grande e gordo” – para se referir ao caso.

Ainda de acordo com o presidente, os democratas “estão rindo” da situação. “Gostaria de colocar uma câmera numa sala fechada com os democratas para gravar eles rindo disso tudo”.

“Se trouxesse George Washington aqui, os democratas seriam contra, votariam contra, tenho certeza”.

Mesmo assim, ele afirmou acreditar que alguns senadores democratas irão acabar votando pela nomeação de Kavanaugh.

Trump também foi questionado se seu próprio histórico como acusado de abuso sexual o fazia se posicionar tradicionalmente ao lado de homens acusados de comportamento abusivo e duvidar da palavra das acusadoras.

“Fui acusado por mulheres que receberam muito dinheiro para inventar histórias sobre mim”, afirmou, dizendo-se inocente de suas próprias acusações.

Acusações

A primeira mulher a acusar Kavanaugh, Christine Blasey Ford, professora de Psicologia na Universidade de Palo Alto, na Califórnia, irá testemunhar perante o Comitê Judicial do Senado na quinta-feira, assim como o próprio juiz. Ela afirma que quando ambos estavam no ensino médio, durante uma festa, ele tampou sua boca e tentou tirar sua roupa.

O segundo caso teria acontecido quando juiz estudava na Universidade de Yale e foi denunciado por sua então colega Deborah Ramirez. De acordo com ela, Kavanaugh tirou a roupa, bêbado, durante uma festa em uma residência de estudantes, colocou o pênis em seu rosto e a fez tocá-lo sem seu consentimento, enquanto ela tentava tirá-lo de cima.

Nesta quarta-feira, Julie Swetnick afirmou em um comunicado divulgado por seu advogado que viu o juiz Brett Kavanaugh “ter condutas muito inapropriadas” com outras mulheres durante festas em que estavam presentes na década de 1980. Ela inclusive informou que sofreu um estupro coletivo durante uma das festas em que Kavanaugh estava.

Julie não afirmou explicitamente ter sido estuprada por Kavanuagh, mas diz que o agora juiz “bebia excessivamente e tinha um comportamento fisicamente agressivo em relação às mulheres”, incluindo o fato de que “apalpou e agarrou as meninas sem o consentimento delas”.

Ela diz ainda que soube nos anos 80 que Kavanaugh e um amigo “turbinavam” as bebidas com drogas para fazer as garotas ficarem mais “desinibidas”. E que testemunhou os mesmos dois fazerem meninas ficarem desorientadas para que pudessem sofrer estupros coletivos. Ela ainda diz que se lembra firmemente de que em algumas das festas que frequentava havia filas de garotos na porta de algum quarto à espera de entrar e ter sua vez para abusar de alguma menina que estivesse inconsciente lá dentro. E que Kavanaugh e seu amigo também esperavam na fila.

Com informações do G1

Brasil

2º caso de covid-19 confirmado em Raul Soares-MG

segundo caso confirmado de covid-19 em Raul Sores

Vinicius Silva

Publicado

em

Por volta das 18 horas de hoje 19-05-2020 a Secretaria Municipal de saúde da cidade de Raul soares-Mg confirmou o 2º caso de covid-19 e divulgou através da pagina oficial do Facebook.

Fonte: Fampage oficial da Prefeitura de Raul Soares – MG

Continue lendo

Brasil

Ministério da Saúde cancela coletiva na qual deveria apresentar detalhes de diretrizes sobre distanciamento

O anúncio das diretrizes para a saída do isolamento que seria feito nesta quarta-feira (13) foi adiado

Vinicius Silva

Publicado

em

Governo e conselhos de secretários não chegaram a consenso em reunião nesta tarde. Mais cedo, Bolsonaro fez cobrança pública a Teich após ministro criticar cloroquina.

O anúncio das diretrizes para a saída do isolamento que seria feito nesta quarta-feira (13) foi adiado. A reunião com os conselhos estaduais e municipais de saúde não chegou a um consenso. O ministro da saúde, Nelson Teich, afirmou na última segunda-feira (11) que era necessário debater com estados e municipios as diretrizes.

A coletiva de imprensa que revelaria o resultado desta conversa, marcada para a tarde desta quarta (13), foi cancelada. Em nota, o Ministério da Saúde informou que desde o último sábado (9), “a estratégia tem sido debatida com os conselhos dos secretários de saúde estaduais e municipais, o Conass e o Conasems”.

“O objetivo era ter um plano construído em consenso. No entanto, esse entendimento não foi obtido nas reuniões conduzidas até o momento”, diz a nota.

O Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) divulgaram uma nota conjunta afirmando que acham o momento inoportuno para a pactuação e publicação das diretrizes sobre distanciamento social.

“Este é o momento de salvar vidas. Precisamos de um único consenso agora: a saúde e a vida das pessoas não pode esperar. União, estados e municípios devem somar esforços no enfrentamento da pandemia, para o bem de todos os brasileiros”, afirmou Alberto Beltrame, presidente do Conass.

Cloroquina: Bolsonaro x Teich

O cancelamento da coletiva ocorre ainda no mesmo dia em que o presidente Jair Bolsonaro voltou a defender o remédio cloroquina e pediu ministros ‘afinados’ com ele. Isso porque Teich escreveu em sua conta no Twitter na terça-feira (12) que a cloroquina apresenta efeitos colaterais e que a prescrição deve ser feita em comum acordo entre paciente e médico. Um dos principais efeitos colaterais do remédio são complicações cardíacas; além disso, estudos recentes mostram que ela não teve eficácia contra o coronavírus.

“Todos os ministros são indicações políticas minhas e quando eu converso com os ministros eu quero eficácia na ponta. Nesse caso, não é gostar ou não do ministro Teich, é o que está acontecendo”, disse Bolsonaro.

Debate das diretrizes com os conselhos

Na última segunda-feira (11) o ministro da Saúde, Nelson Teich, divulgou uma prévia das diretrizes que devem orientar estados e municípios em suas decisões sobre medidas de isolamento social contra o novo coronavírus.

“A gente vai tá sempre junto. Isso é um trabalho das três esferas, tanto nas ações, quanto do planejamento. Na quarta vamos apresentar de forma mais detalhada”. – Nelson Teich, ministro da Saúde

O primeiro ponto das diretrizes é a “Avaliação de Riscos Quantitativa”, na qual o ministério lista 5 eixos que devem ser avaliados. A situação em cada um deles leva a uma pontuação que vai indicar a “definição dos níveis de distanciamento” e as “medidas a serem tomadas”.

Segundo Teich, a ferramenta vai estar disponível para estados e municípios a partir de quarta-feira. No mesmo dia o ministério vai apresentar detalhes das diretrizes. Um dos pontos que o ministro disse que será esclarecido futuramente é qual a indicação de distanciamento em cada nível de risco.

O ministro disse que ainda vai conversar com representantes do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) sobre as diretrizes em busca de um consenso. Teich disse que já tinha conversado com os conselhos no sábado e que foi surpreendido nesta terça com reportagem do jornal “O Estado de S. Paulo” de que houve rejeição à proposta dentro dos órgãos.

Fonte: g1.globo.com

Continue lendo
Publicidade

Facebook

Siga-nos

Publicidade

Mais lidas

Enable Notifications    Ok No thanks