conecte-se conosco

Notícias

Professora de Iúna morre em grave acidente na divisa com Irupi

Avatar

Publicado

em

IÚNA (ES) – Orli Silveira, de 46 anos, servidora pública de Iúna, morreu após capotar seu veículo, um Cross Fox, na rodovia ES 379, próximo ao trevo que dá acesso a Irupi, nas proximidades do Iúna Campestre Clube (ICC), na divisa entre os dois municípios, por volta das 16h30 desse domingo (23).

Testemunhas que estiveram no local do acidente informaram que a servidora retornava de uma confraternização de final de ano na localidade de Rio Pardinho e seguia para Iúna. No carro, havia outra pessoa que não sofreu ferimentos e informou à Polícia Militar que a motorista perdeu o controle do veículo em uma curva e apos ficar em “zig zag” no asfalto, capotou na lateral da via.

A secretaria municipal de Saúde de Iúna chegou a enviar atendimento médico e ambulância, mas a vítima não resistiu aos ferimentos e morreu no local. A Polícia Militar isolou a área até a chegada da perícia que realizou os trabalhos necessários e encaminhou o corpo para o Serviço Médico Legal (SML) de Cachoeiro de Itapemirim.

O prefeito de Iúna, Coronel Weliton, lamentou a morte da servidora e disse que o município está em luto. “A administração pública de Iúna está de luto. Orli era amiga, honesta e conciliadora. Ótima funcionária pública, sempre pró ativa buscando harmonia entre os colegas de serviço, melhoria constante do local de trabalho e da qualidade de prestação de serviço à comunidade! Perdemos uma grande profissional e amiga”, disse o prefeito.

Ainda segundo o gestor a prefeitura está dando todo o apoio necessário desde o ocorrido. “Desde o momento em que tomamos conhecimento do acidente acompanhamos toda a ocorrência, desde o atendimento da Polícia Militar até a chegada da perícia para remoção ao IML”, acrescentou.

Orli exercia a função de coordenadora da Creche Pingo. 

Fonte: Edézio Peterle – Aqui Notícias

Continue lendo
Publicidade

Notícias

Pastor que queimou pedidos de fiéis no Pico da Bandeira é multado em R$ 61 mil

Avatar

Publicado

em

PARQUE NACIONAL DO CAPARAÓ – Um pastor deverá realizar o pagamento de prestação pecuniária no valor de R$ 61.237,00, por ter feito uma fogueira no Pico da Bandeira para queimar papéis de cunho religioso durante um culto. O ato aconteceu em 11 de janeiro deste ano e ele foi alvo de uma ação movida pelo Ministério Público Federal (MPF).

O MPF propôs um acordo de não persecução penal (ANPP) ao pastor devido ao dano causado à unidade de preservação do Parque Nacional do Caparaó. Ele estava acompanhado de outras 15 pessoas e, na referida data, realizou um culto no cume do Pico da Bandeira. Na ocasião, o grupo acendeu uma fogueira no local para queimar papéis de cunho religioso.

O ato configura crime ambiental segundo o artigo 40, da lei 9.605/98 e a proibição está explícita por meio de placas ao longo do Parque. Um funcionário do Parque agiu rapidamente e conseguiu apagar a fogueira, evitando maiores danos à vegetação local ou o alastramento do fogo.

Como trata-se de crime sem violência ou grave ameaça e com pena mínima inferior a quatro anos, o procurador da República em Cacheiro de Itapemirim, Aldo de Campos Costa, propôs o acordo, no qual o pastor deverá realizar o pagamento de prestação pecuniária no valor de R$ 61.237,00, que deverá ser depositada em conta judicial a ser criada pela Justiça Federal em Cachoeiro de Itapemirim.

Parque do Caparaó

Localizado na Serra do Caparaó, na divisa dos estados de Minas Gerais e Espírito Santo, o Parque Nacional do Caparaó é um dos ícones do montanhismo no Brasil e abriga o terceiro ponto mais alto do país, o Pico da Bandeira, que tem 2.892 metros de altitude. Além dele, estão na unidade de conservação cinco dos dez picos mais altos de todo o território nacional.

A Serra do Caparaó é uma das mais representativas áreas de preservação da Mata Atlântica em território capixaba. O Parque no qual ela se encontra guarda amostras singulares de campos de altitude (tipo de vegetação peculiar, cujas características são fortemente influenciadas pelas condições de solo, clima e altitude do maciço do Caparaó), relevante patrimônio geológico, além de proteger nascentes de três importantes bacias hidrográficas (Rios Itabapoana, Itapemirim e Doce) e diversas espécies endêmicas e ameaçadas de extinção da fauna e flora.

O uso de fogo no entorno do Pico da Bandeira tem colocado a unidade de proteção ambiental em risco. No início do mês de outubro, conforme noticiado pela imprensa, um incêndio atingiu o Parque e houve necessidade de apoio do Núcleo de Operações e Transportes Aéreo (NOTAer) da Polícia Militar do Espírito Santo para apagar as chamas.

Já em setembro de 2019, outro incêndio destruiu aproximadamente 67 hectares de vegetação do Parque Nacional do Caparaó. Na ocasião, além de 25 militares do Corpo de Bombeiros do Espírito Santo e de Minas Gerais, cerca de 36 brigadistas voluntários ajudaram a combater as chamas com o auxílio de uma aereonave.

ANPP

Os acordos de não persecução penal podem ser propostos nas seguintes situações: pena mínima abstrata inferior a quatro anos; confissão formal e circunstanciada da infração; não se tratar de crime cometido com violência ou grave ameaça; não ser cabível transação penal dos Juizados Especiais Criminais; não ser o investigado reincidente nem ter sido beneficiado por acordo similar nos cinco anos anteriores.

O instrumento não pode ser utilizado em caso de violência doméstica ou familiar ou de crime praticado contra a mulher por razões relacionadas à condição de sexo feminino. Além disso, o acordo deve ser suficiente para reprovação e prevenção do crime, tendo em vista a culpabilidade, os antecedentes, a conduta social e a personalidade do autor do fato, bem como os motivos e as circunstâncias do crime.

As informações são da Assessoria de Imprensa do MPF

Continue lendo

Brasil

Protesto de moradores na BR 262 em Rio Casca MG fecha rodovia nos dois sentidos

sexta-feira dia 09 de outubro de 2020 por volta das 17 horas aconteceu um Protesto de moradores na BR 262 na Travessa Jacarandá no município de Rio Casca MG

Vinicius Silva

Publicado

em

Na tarde para noite desta sexta-feira dia 09 de outubro de 2020 por volta das 17 horas aconteceu um Protesto de moradores na BR 262 na Travessa Jacarandá no município de Rio Casca MG onde foi feito um bloqueio de fogo que interditou a pista da BR nos dois sentidos.

Fote: Marcio Heleno MH WhatsApp

Moradores protestavam após a morte do Reginaldo Freitas Ex funcionário da Prefeitura de Rio Casca, um dia após o seu aniversário, após acidente com moto 150 da cidade de rio Casca MG em colisão com carro palio 1.4 placa de Ponte Nova MG na manhã desta sexta-feira dia 09 de outubro de 2020.

Os moradores relatarão ao Locutor Márcio Heleno, que a intenção é solicitar ao DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte), que seja colocado nesta travessia 4 quebra-molas, uma vez que o radar que existia neste mesmo local e foi retirado, moradores aguardavam representantes pela rodovia BR 262, para liberação da via.

A via foi liberada por volta das 20 horas após representantes do DNIT assumirem o compromisso de colocarem os quebra-molas solicitados até a terça-feira.

O protesto gerou um grande engarrafamento nos dois sentidos de vários quilômetros como mostra as fotos.

Continue lendo
Publicidade

Facebook

Siga-nos

Publicidade

Mais lidas

Enable Notifications    Ok No thanks