Connect with us

Brasil

Paciente com suspeita de coronavírus em Viçosa tem alta do hospital e está em isolamento domiciliar

Uma mulher de 30 anos que estava internada desde quarta-feira (26) no Hospital São Sebastião, em Viçosa, com suspeita de coronavírus, teve alta

Publicado

em



Caso aparece como suspeito no Boletim Epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) e na lista do Ministério da Saúde. Mulher, de 30 anos, retornou da Tailândia e apresentou sintomas como febre, dor de garganta e secreção clara.

Por Amanda Andrade, G1 Zona da Mata

Coronavírus visto em microscópio — Foto: Getty Images via BBC

É assim que o coronavírus é visto no microscópio — Foto: Getty Images via BBC

Uma mulher de 30 anos que estava internada desde quarta-feira (26) no Hospital São Sebastião, em Viçosa, com suspeita de coronavírus, teve alta na noite de sexta-feira (28).

Agora, segundo informou a Prefeitura Municipal, ela ficará em isolamento domiciliar por 14 dias, sob instruções e monitoramento de profissionais da área de saúde.

O caso é considerado como suspeito, conforme boletim epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) divulgado no início da noite de sexta-feira e também consta na lista do Ministério da Saúde.

De acordo com o secretário Municipal de Saúde, Marcus Schitinni, a alta da paciente ocorreu após melhora e estabilidade do quadro clínico e as recomendações seguem o protocolo da SES-MG e da Organização Mundial da Saúde (OMS).

O Executivo informou que a mulher retornou de uma viagem à Tailândia com sintomas como febre, dor de garganta e secreção clara. Ela ficou em área isolada na enfermaria do Hospital São Sebastião por 48 horas.

Marcus explicou que os exames foram feitos na quarta-feira (26) e encaminhados ao Estado e à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro. A expectativa é que o resultado, que confirme ou descarte o caso, seja divulgado na próxima terça-feira (3).

Protocolo de atendimento

Após a divulgação da internação da paciente com sintomas semelhantes ao coronavírus, representantes da Secretaria de Saúde, dos hospitais São Sebastião e São João Batista e da Universidade Federal de Viçosa (UFV) realizaram uma reunião, ainda na quinta-feira (27), para definir um protocolo de atendimento no município.

O protocolo recomenda que pacientes com sintomas suspeitos procurem a Unidade Básica de Saúde (UBS) que estejam referenciados para um atendimento inicial. A partir de então, a UBS acompanhará o caso, tomando medidas cabíveis.

Já a população estudantil deverá procurar a Divisão de Saúde da Universidade Federal de Viçosa (UFV) para um atendimento inicial. Nos finais de semana, devem ir ao Hospital São João Batista.

O Hospital São João Batista foi definido como a referência para o atendimento de casos suspeitos. A instituição ofertará um ala específica para acompanhar os pacientes. Tanto as UBS, quanto a UFV e outras clínicas médicas devem comunicar ao hospital sobre cada caso suspeito.

Coronavírus no Brasil

Na tarde desta sexta-feira, o Ministério da Saúde fez uma coletiva para informar que o Brasil tem, até então, 182 casos suspeitos, um caso foi confirmado e 71 descartados desde o início do monitoramento.

O mais recente boletim mostrou a seguinte distribuição dos casos pelo Brasil: São Paulo (66), Rio Grande do Sul (27), Rio de Janeiro (19), Minas Gerais (17), Bahia (9), Santa Catarina (9), Ceará (6), Pernambuco (5), Paraná (5), Distrito Federal (5), Goiás (5), Rio Grande do Norte (3), Mato Grosso do Sul (2), Espírito Santo (2), Paraíba (1) e Alagoas (1).

Na Zona da Mata, são investigados os casos de Viçosa e da paciente de 51 anos que retornou da Itália em Juiz de Fora.

Recomendações

Os especialistas recomendam a “etiqueta respiratória” para evitar a transmissão: cobrir a boca com a manga da roupa ou braço em caso de tosses e espirros e sempre lavar as mãos.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomenda que os serviços de saúde adotem protocolos de prevenção antes, durante e depois da chegada do paciente, com desinfecção e ventilação de ambientes.

Para quem trabalha em pontos de entrada no país, como aeroportos e fronteiras, é recomendado o uso de máscaras cirúrgicas.

Caso haja algum caso suspeito em aviões, navios e outros meios de transporte, é recomendado usar máscara cirúrgica, avental, óculos de proteção e luvas. A inspeção de bagagens deve ser feita com máscara cirúrgica e luvas.

Fonte: https://g1.globo.com/



Publicidade
Publicidade
Publicidade
Enable Notifications    OK No thanks