conecte-se conosco

Esportes

Pacheco não tinha mais sustentação, mas tem mais gente pra cair junto!

Avatar

Publicado

em

Normalmente, quando as coisas não vão bem, a culpa cai toda em cima do treinador. E não podemos cair nesse equívoco agora.

Pachequinho cometeu vários erros, evidentemente. Especialmente quando perdeu algumas peças e teve que usar o elenco (que se demonstrou frágil, convenhamos), assim como quando precisou alterar o estilo de jogo e foi um desastre. A demissão até foi postergada depois daquela vitória contra o Avaí fora de casa. Mas os resultados já vinham definhando (apenas 1 vitória nos últimos 10 jogos), e o rendimento (futebol apresentado), literalmente, despencou. Nosso time perdeu todo o padrão de jogo que teve nas rodadas iniciais. Passamos a ser facilmente envolvidos pelos oponentes, e a criar chances a conta gotas. Com um verdadeiro amontoado em campo, que não dava pra entender nada.

Alex Brasil Ernesto Pedroso Coritiba

Responsáveis diretos pela montagem deste elenco atual: Alex Brasil, diretor de futebol, à esquerda; e Ernesto Pedroso, à direita, diretor institucional. (foto: Monique Silva/GE-PR)

Agora não podemos deixar de criticar nossa diretoria, encabeçada pelo Ernesto Pedroso, que é quem realmente comanda nosso departamento de futebol. Se ele acertou em algumas situações, e foi elogiado, por outro lado errou demais na montagem do elenco. Temos vários jogadores no ataque, mas apenas podemos confiar no Kléber (e aí ele fez aquela bobeira, e pra piorar o Clube não teve a capacidade de aceitar o acordo que reduziria em menos da metade a punição…). No meio-campo não temos um articulador sequer com criatividade, até temos bons volantes, mas sem reservas que consigam manter o ritmo. A lateral-direita tem sido um verdadeiro pesadelo, com 3 opções que se revezam e não conseguem se firmar. E as últimas contratações…todas incertezas, jogadores com histórico complicadíssimo de lesões sérias.

Edinho Coritiba
Calendário enxuto e com elenco inchado, e grande parte sem o nível esperado para a Série A. Não é nem preciso citar nomes (quem quiser, fique à vontade nos comentários), mas pelo menos uma meia dúzia só faz número, e quando entra compromete demais! Melhor utilizar a base, mesmo que saibamos que não há o devido projeto para utilização adequada da piazada.

Então precisamos aproveitar o momento e realmente pensar e planejar; não apenas o time, para o curto prazo, mas sim o clube inteiro, para o futuro também.

Enquanto não tivermos um planejamento institucional, com filosofia no clube, diretrizes bem fundamentadas, e que seja seguido à risca, viveremos apenas de espasmos. Só na base de alguma conjuntura completamente favorável, uma dose de sorte, e emplacar alguns resultados que alegrem a torcida por um curto período. De resto, enfrentaremos dificuldades, como temos vivido nos últimos 6 brasileiros (já contando com este, que parece estarmos indo no mesmo caminho da amargura).

PS: fica o agradecimento ao Pacheco: pelo título estadual, conquistado com relativa facilidade na final contra nosso arquirrival, quando imaginávamos que teríamos dificuldades; por ter colaborado em 2015 naquela reta final do brasileiro, quando tirou o time da zona de rebaixamento; por ter feito um belo início de série A em 2017; e principalmente por todos os anos como colaborador do clube, passando vários anos como jogador, auxiliar técnico, observador técnico, técnico nas categorias de base, e finalmente técnico do profissional. Obrigado pelos serviços prestados, e bom prosseguimento na carreira (menos contra nós).

Com informações do Glauco Gasparin globo esporte

 

Esportes

Olimpíadas de Tóquio são adiadas para 2021, depois de pedido de primeiro-ministro do Japão

Avatar

Publicado

em

Abe Shinzo pediu ao Comitê Olímpico para adiar os jogos que deveriam acontecer em Tóquio neste ano.

Shinzo Abe falando ao Parlamento em 2019 — Foto: AP Photo/Eugene Hoshiko
Shinzo Abe falando ao Parlamento em 2019 — Foto: AP Photo/Eugene Hoshiko

O primeiro-ministro japonês, Abe Shinzo, confirmou nesta terça-feira (24) que pediu ao Comitê Olímpico Internacional o adiamento de um ano dos Jogos Olímpicos, que estavam programados para o dia 24 de julho.

Abe fez o anúncio a jornalistas depois de uma conversa telefônica com o presidente do COI, Thomas Bach. Segundo ele, o COI aceitou o pedido.

O COI, então, confirmou em um comunicado o adiamento assinado em conjunto com o governo japonês:

“Na circunstância presente, e baseados na informação providenciada pela Organização Mundial da Saúde, o presidente do COI e o primeiro-ministro do Japão concluíram que os Jogos da 32ª Olimpíada em Tóquio devem ser reagendados para uma data para além de 2020, mas não depois do verão de 2021, para garantir a saúde de atletas, todos envolvidos nos Jogos e a comunidade internacional.”

As Olimpíadas, portanto, deverão ser realizadas em 2021. Mesmo assim, o nome oficial do evento será Tóquio 2020, de acordo com o governador de Tóquio, Yuriko Koike.

Os Jogos Olímpicos foram adiados por causa da pandemia do Covid-19, que impactou a organização do evento e também a preparação dos atletas.

A conversa telefônica incluiu, além de Abe e de Bach, o governador de Tóquio, Yuriko Koike, e o líder da organização dos Jogos, Yoshiro Mori.

Abe pediu para que Bach tomasse uma decisão o mais rápido possível, segundo a NHK.

Essa é a primeira vez, na era moderna, que os Jogos Olímpicos são adiados. Eles foram cancelados em três ocasiões: 1916, 1940 e 1944.

Pressão de atletas

O Comitê Olímpico do Canadá havia publicado uma carta na segunda-feira (23) na qual informou que ia boicotar os Jogos Olímpicos e Paralímpicos se eles fossem realizados em 2020. A Austrália também informou que não enviaria seus atletas.

Noruega e Grã-Bretanha pressionaram o COI e ameaçaram não participar dos Jogos.

Eliminatórias congeladas

A maioria (78%) dos atletas era favorável a um adiamento, de acordo com uma pesquisa divulgada pelo “The New York Times”.

As medidas de contenção do coronavírus, que em muitos países incluem a proibição de viagens, interromperam os jogos eliminatórios para as Olimpíadas. Muitos dos atletas não podem sair de casa por causa das medidas de isolamentos impostas.

Ainda assim, até o domingo (22), o COI tinha dito que só tomaria uma decisão em quatro semanas.

Fonte: G1.globo.com

Continue lendo

Esportes

Mufarrej confirma Honda com portões fechados e promete “estreia efetiva quando tudo se regularizar”

Avatar

Publicado

em

Principal contratação do Botafogo, japonês estreará neste domingo, contra o Bangu. Partida não poderá ter presença de torcedores por determinação da Ferj em razão de coronavírus

A determinação de jogos com portões fechados no Campeonato Carioca a partir deste fim de semana em razão do novo coronavírus frustrou os planos do Botafogo para a estreia de KeisukeHonda, que ocorrerá neste domingo, contra o Bangu, pela terceira rodada da Taça Rio.

Após reunião na Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) nesta sexta, o presidente alvinegro, Nelson Mufarrej, confirmou que o meia japonês fará sua primeira partida pelo clube neste fim de semana, mas prometeu uma “estreia efetiva” junto à torcida “quando tudo se regularizar”.

– Lamentamos, mas temos que entender que o coronavírus é um problema mundial, mas vida que segue. Vamos estrear com ele (Honda), mas vamos, se Deus quiser, quando tudo se regularizar, vamos fazer a estreia efetiva em nosso estádio na presença dos torcedores botafoguenses.

O Botafogo vinha utilizando a estreia do japonês para convocar a torcida para comparecer em peso ao estádio Nilton Santos no domingo. Com a medida de portões fechados, o clube já divulgou orientações para que os torcedores que compraram ingressos peguem o dinheiro de volta.

Honda tinha sua estreia programada para a última terça-feira, contra o Paraná, pela Copa do Brasil. No entanto, o japonês ficou gripado e não pôde participar da partida. Ele chegou, inclusive, a pedir desculpas. Agora que estará à disposição do técnico Paulo Autuori, é a torcida que não poderá estar presente. O encontro efetivo ainda não tem data para ocorrer, pois a medida da Ferj de jogos com portões fechados é de prazo indefinido.

Honda, Jairzinho, Nelson Mufarrej e Marco Agostini — Foto: Vitor Silva/Botafogo
Honda, Jairzinho, Nelson Mufarrej e Marco Agostini — Foto: Vitor Silva/Botafogo


Fonte: Thayuan Leiras — Rio de Janeiro / globoesporte.globo.com

Continue lendo
Publicidade

Facebook

Siga-nos

Publicidade

Mais lidas