conecte-se conosco

Geral

Ministério da Agricultura diz que identificou mais 11 lotes de cervejas da Backer contaminados com dietilenoglicol

O Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) afirmou neste sábado (18) que detectou mais 11 lotes de cervejas da Backer contaminados com a substância tóxica dietilenoglicol. Segundo o ministério, agora são 32 lotes identificados com a substância.

Vinicius Silva

Publicado

em

No total agora são 32 lotes identificados com contaminação.

O Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) afirmou neste sábado (18) que detectou mais 11 lotes de cervejas da Backer contaminados com a substância tóxica dietilenoglicol. Segundo o ministério, agora são 32 lotes identificados com a substância.

A maioria dos lotes são das cerveja Belorizontina, mas as análises mostram contaminação em outros nove rótulos. As duas novas marcas que foram identificadas contaminações são a Corleone e a Backer Trigo. As análises são realizadas pelos Laboratórios Federais de Defesa Agropecuária.

  • Backer D2
  • Backer Pilsen
  • Backer Trigo
  • Brown
  • Capitão Senra
  • Capixaba
  • Corleone
  • Fargo 46
  • Pele Vermelha

A empresa disse que já está fazendo o recall determinado pelas autoridades.

Ministério da Agricultura identifica contaminação em 32 lotes de 10 rótulos da Backer — Foto: Reprodução/Ministério da Agricultura

Ministério da Agricultura identifica contaminação em 32 lotes de 10 rótulos da Backer — Foto: Reprodução/Ministério da Agricultura

O Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) afirmou neste sábado que analisa se o uísque e o gim – produzidos pela Backer – estão contaminados com as substância tóxicas dietilenoglicol e monoetilenoglicol. Caso seja encontrada alguma irregularidade, eles podem ser recolhidos, segundo o Mapa.

A Backer diz que a água usada na produção do gim Lebbos e do uísque Três Lobos não é a mesma do processo cervejeiro. Segundo a empresa, o acréscimo da água no gim é realizado fora da fábrica, por um fornecedor.

Quanto ao uísque, disponível hoje no mercado, a Backer disse que ele foi engarrafado em julho de 2018, com entrada no barril cinco anos antes.

Lotes contaminados

Backer D2 L1 2007

Backer Pilsen L1 1549 / L1 1565

Backer Trigo – L1 1598

Belorizontina L2 1197 / L2 1348 / L2 1354 / L2 1455 / L2 1464 / L2 1474/ L2 1487 / L2 1546 / L2 1557 / L2 1593 / L2 1604 / L882/ L2 1467/ L2 1521/ L2 1534/ L2 1574 / L2 1552 / L2 1593 / L2 1546

Brown 1316

Capitão Senra L2 1571 / L2 1609

Capixaba L2 1348

Corleone 1121

Fargo 46 L1 4000

Pele Vermelha L1 1345 / L1 1448 / 1284

Capitão Senra está entre os oito rótulos contaminados com dietilenoglicol. No total, segundo Ministério, são 21 lotes de cervejas da Backer contaminados — Foto: Danilo Girundi/TV Globo

Capitão Senra está entre os oito rótulos contaminados com dietilenoglicol. No total, segundo Ministério, são 21 lotes de cervejas da Backer contaminados — Foto: Danilo Girundi/TV Globo

Resumo:

  • Uma força-tarefa da polícia investiga 18 notificações de pessoas contaminadas após consumir cerveja; quatro morreram;
  • Os sintomas da intoxicação incluem náusea, vômito e dor abdominal, que evoluem para insuficiência renal e alterações neurológicas;
  • O Ministério da Agricultura identificou 21 lotes de cerveja da Backer contaminados com dietileglicol, um anticongelante tóxico;
  • A Backer nega usar o dietilenoglicol na fabricação da cerveja;
  • A cervejaria foi interditada, precisou fazer recall e interromper as vendas de todos os lotes produzidos desde outubro;
  • Diretora da cervejaria disse que não sabe o que está acontecendo e pediu que clientes não consumam a cerveja

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu a venda de qualquer tipo de cerveja da empresa. Agora não são apenas os lotes contaminados que devem sair das prateleiras. A venda de qualquer cerveja Backer com validade igual ou superior a agosto deste ano está proibida pela Anvisa em todo o país durante noventa dias.

A interdição será mantida até que a Backer comprove a ausência de dietilenoglicol e monoetilenoglicol nas suas cervejas. A ação de fiscalização da venda e recolhimento dos produtos no comércio é de responsabilidade da vigilância sanitária de cada cidade.

Até agora são dezenove casos notificados de intoxicação por dietilenoglicol em Minas. Quatro pessoas morreram. A Polícia Civil investiga se a contaminação ocorreu após o consumo da cerveja Belorizontina, da Backer. De acordo com o governo de Minas, 15 pessoas estão internadas em estado grave. Das 4 mortes, uma já foi confirmada como intoxicação por dietilenoglicol. As outras 3 ainda são investigadas.

Desde o início das investigações a Backer afirma que usa o monoetilenoglicol como anticongelante, mas nega o uso do dietilenoglicol, substancia mais tóxica. A polícia informou por meio de nota que o inquérito aberto para investigar a contaminação e a possibilidade de crime segue sob sigilo, mas que tem mais uma peça que será analisada.

É um vídeo enviado pela Backer que supostamente mostraria a adulteração do monoetilenoglicol comprado pela cervejaria.

“Seria prematuro dar alguma informação com relação ao vídeo nesse momento. As autoridades competentes estão buscando as informações necessárias para apuração da verdade a empresa é a maior interessada em esclarecer o que aconteceu” afirmou o advogado da Backer, Estêvão Nejm.

O material recolhido na distribuidora Imperquímica, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, que vendeu o monoetilenoglicol também está sendo analisado, segundo a polícia. A distribuidora foi interditada pela vigilância por não ter alvará sanitário e nem autorização para fracionar monoetilenoglicol.

“A gente não sabia, tinha imaginado que fracionamento necessitava de alvará, por isso que a vigilância sanitária diz que precisa regularizar na segunda feira para fracionar os produtos”, afirmou o advogado da Imperquímica Mario Saveri.

Fonte: https://g1.globo.com/

Continue lendo
Publicidade

Brasil

Apelo do Prefeito Adriano Alvarenga viraliza na região.

O seu apelo é para Igreja católica e Governo federal nos lotes que ainda faltam para realocar todos para parte mais alta.

Vinicius Silva

Publicado

em

Mais uma vez o Distrito de Vista Alegre Rio Casca Minas Gerais sofre com as fortes chuvas e acontece enchentes como mostra o vídeo feito Prefeito de Rio casca ao lado de moradores; em projeto já existente como fala o prefeito em vídeo já existe mais de 55 lotes para realocar as cercas de 80 famílias.
O seu apelo é para Igreja católica e Governo federal nos lotes que ainda faltam para realocar todos para parte mais alta.

Confiram o vídeo abaixo.

Fonte: Fan Page do Adriano Alvarenga
Continue lendo

Brasil

Casa desmorona em Raul Soares durante enchente; veja vídeo

Um vídeo que se espalhou neste domingo (26) pelas redes sociais mostra o momento em que uma casa às margens do rio Matipó, em Raul Soares, na Zona da Mata, desmorona. O imóvel era o lar da família do auxiliar administrativo Thiago dos Santos Costa Rocha, de 31 anos, que saiu do local dez minutos antes da estrutura ruir.

Vinicius Silva

Publicado

em

Um vídeo que se espalhou neste domingo (26) pelas redes sociais mostra o momento em que uma casa às margens do rio Matipó, em Raul Soares, na Zona da Mata, desmorona. O imóvel era o lar da família do auxiliar administrativo Thiago dos Santos Costa Rocha, de 31 anos, que saiu do local dez minutos antes da estrutura ruir. 

Duas famílias moravam no imóvel de dois pavimentos, os sogros de Thiago no andar de baixo e ele, a esposa e o filho de cinco anos no segundo andar. “A enchente começou na sexta (24) e meus sogros e minha esposa e meu filho foram para a casa do meu cunhado, mas eu fiquei porque não acreditei que chegaria ao segundo piso”, relatou. Na manhã de sábado, no entanto, Thiago acordou com a água já dentro de casa e acabou ilhado, tendo que ser resgatado pela Polícia Militar em um barco.

Na manhã de domingo, quando a casa desabou, a família havia voltado ao local para verificar a situação. A água já havia baixado e, no vídeo, é possível ver até onde ela chegou pela marcação na fachada. “Eu e meu cunhado entramos, olhamos algumas coisas e saímos, depois minha esposa entrou, pegou uma sacola com documentos e saiu, lá fora vimos o tamanho da rachadura na parede e os estalos começaram, dez minutos depois a casa caiu”, detalhou.

Segundo ele, a força da água também destruiu uma ponte que ficava ao lado do imóvel. Thiago acredita que os escombros da estrutura fizeram aumentar a pressão da água, o que pode ter sido responsável pelos danos à estrutura de sua casa. Outra casa, segundo ele, também foi derrubada pela cheia. Os sogros moravam no local há mais de quarenta anos e ele e a esposa haviam se mudado para o andar de cima há cinco. Segundo ele, a enchente nunca havia chegado tão alto.

Perdas

As duas famílias perderam tudo no desmoronamento. “Foram duas geladeiras, duas televisões, duas máquinas de lavar, roupas, documentos, brinquedos do meu filho, eram coisas simples, mas era o que a gente tinha e nos atendia muito bem”, lamentou.

Thiago e a família continuam na casa do cunhado. O auxiliar administrativo não soube precisar valor do prejuízo, mas vai sair nesta segunda-feira (27) em busca de um lugar para morar e tomar as providências necessárias. Ele ainda criou uma vaquinha online para arrecadar fundos e recuperar o que foi perdido na chuva. Cliqe aqui para ajudar a família de Thiago.

A cidade de Raul Soares é uma das 47 incluídas no decreto estadual de Emergência em razão das consequências das chuvas que assolam o Estado desde o meio da última semana.

Fonte> https://www.hojeemdia.com.br/

Continue lendo
Publicidade

Facebook

Siga-nos

Publicidade

Mais lidas