Connect with us

Educação

Enem 2019: Inep consegue dispensa de licitação para contratar gráfica que vai imprimir as provas

Publicado

em

Empresa que prestaria o serviço originalmente entrou com pedido de falência. Valor do contrato global com a nova gráfica é de R$ 151 milhões.

Após a falência da RR Donnelley, que imprimiria o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) não precisará abrir uma nova licitação para selecionar a gráfica que fará o serviço. A empresa substituta será a Valid Soluções S.A., pelo valor global de R$ 151,7 milhões, segundo publicação no Diário Oficial da União desta terça-feira (21).

Ela será responsável pela diagramação, manuseio, embalagem, impressão, rotulagem e entrega dos cadernos de provas para os Correios. As etapas devem ocorrer em condições especiais de segurança e em sigilo.

A empresa já tinha sido escolhida neste ano para imprimir as provas do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb), do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) e do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja). Este grupo de provas é objeto do contrato nº 05/2019, pelo qual o Inep vai desembolsar R$ 143,1 milhões.

Opções após falência

A RR Donnelley entrou com o pedido de falência no dia 1º de abril. Diante disso, para garantir que o Enem ocorresse dentro do cronograma, o Inep teve duas opções: iniciar um novo processo de seleção – que demoraria meses – ou contratar a Valid, segunda colocada na licitação de 2016.

Em 25 de abril, o Tribunal de Contas da União (TCU) autorizou que o órgão convocasse esta outra gráfica. Para isso, no entanto, o Inep precisaria comprovar que não haveria tempo suficiente para abrir uma nova licitação. As provas do Enem serão aplicadas em 3 e 10 de novembro, e o trabalho da gráfica deveria se iniciar ainda em maio.

A dispensa da licitação foi formalizada nesta terça. O Inep esclareceu que, quando foi assinado o contrato nº 06/2016, o valor da impressão das provas era de R$ 129 milhões. Agora, ele foi reajustado para R$ 151,7 milhões.

Dispensa de licitação

A alternativa de dispensa de licitação é permitida por lei em casos de emergência, como perturbação da ordem, calamidade pública, fornecimento de energia ou quebra de barreiras. Também é válida para situações em que há rescisão contratual, e um serviço deixa de ser prestado. A lei determina que, nesse contexto, seja respeitada a ordem de classificação da licitação.

Contrato até 2020

A RR Donnelley prestou serviços para o Inep na impressão do Enem desde 2009, quando foi contratada em caráter de urgência por causa do roubo dos cadernos de prova. Até então, a empresa responsável pelo exame era a Plural.

No ano seguinte, foi aberta uma nova licitação para selecionar a gráfica que imprimiria o Enem de 2010 a 2015. A RR Donnelley apresentou sua proposta e venceu. Depois, em 2016, um novo pregão foi realizado e a mesma empresa venceu novamente, com um contrato que permitia a renovação anual até 2020.

A última havia sido feita em julho de 2018, pelo período de 12 meses, e incluía a execução dos serviços do Enem 2019.

Cronograma do Enem 2019

Fonte: g1.globo.com

Educação

Ser + Tech – Formação gratuita em tecnologia: mais de 300 vagas disponíveis

Publicado

em

O mercado da tecnologia está em ascensão no Brasil. Segundo o estudo “Mercado Brasileiro de Software – Panorama e Tendências 2021”, realizado pela ABES – Associação Brasileiras das Empresas de Software, a indústria tech cresceu 22,9% e investiu cerca de R$ 200,3 bilhões em 2021. A projeção é de um crescimento de 8,2% em 2022.

Em meio ao crescimento setor, um grande desafio no Brasil é como democratizar o acesso ao conhecimento e às oportunidades da área para chegar até pessoas que não vivem nos grandes centros ou estão inseridas em contexto de vulnerabilidade social. Para encurtar esse distanciamento, o Instituto Ser +, organização social voltada para o mercado de trabalho, está com vagas abertas na formação gratuita “Ser + Tech”. O curso é exclusivo para jovens de 19  a 29 anos, que não estão estudando ou trabalhando de maneira formal e concluíram o Ensino Médio na rede pública de ensino.

Conteúdo  e benefícios

Totalmente gratuita, a formação recebe o investimento de empresas parceiras que destinam seu capital no desenvolvimento de jovens em situação de vulnerabilidade social e que estão fora do mercado. Os ingressantes terão acesso à conteúdos profissionais como Comunicação, Informática, Inglês, Tecnologia da Informação e Empreendedorismo. Com metodologia social que vai além da teoria, o programa também envolve atividades nas áreas de Cidadania, Projeto de Vida, Convivência e Vínculos. O curso tem duração de 1 ano.

Além do conhecimento, os estudantes terão direito à uma estrutura integral com Bolsa Auxílio, Vale Alimentação, Vale Refeição e Convênio Médico e Odontológico durante a extensão do curso.

“Nós sabemos que muitos jovens são responsáveis pelo próprio sustento ou da família, por isso, os benefícios ajudam a manter o estudante nesse período do estudo para que ele possa focar no conhecimento sem se preocupar com a parte financeira. É uma oportunidade completa, que une conhecimento teórico e comportamentais, além de oferecer uma atmosfera de bem-estar para que o jovem conclua a formação pronto para o mercado de trabalho”, conta Wandreza Bayona, diretora executiva do Instituto Ser +.

As inscrições estão abertas em São Paulo, Rio Grande do Sul e Minas Gerais pelo site até o 27 de maio de 2022.

Curso “Ser + Tech”

📅 Período de inscrições: até 27 de maio pelo link: https://sermaisonline.org/Apps/entrevista/entrevista.aspx?GII4UB
📌Quem pode participar:
jovens de 19 a 29 anos, que tenham concluído Ensino Médio na rede pública de ensino.
✍️
Informações:
 (21) 98309-3313 ou E-mail: [email protected]


Fonte: R7

Continue lendo

Educação

Dia do Vestibulando: escolha da carreira pode vir acompanhada de insegurança – Notícias

Publicado

em




A escolha de um curso de graduação não é tão fácil para muitos estudantes. Seguir um sonho pessoal ou a carreira que os pais tanto almejam? Trabalhar em algo que tenha a ver com um talento próprio ou uma profissão que dará boa condição financeira? Os pontos que levam à indecisão são variados e o mais importante é a pessoa, em primeiro lugar, tentar se conhecer um pouco mais para decidir, lembrando sempre que é sempre possível recalcular a rota, caso ela não saia como esperado.


“Este sentimento de angústia surge em virtude do estudante ser pressionado a decidir sobre a carreira como algo definitivo e imutável, mas não é exatamente dessa forma. Nós geralmente os orientamos a perceber que essas escolhas podem ser mais flexíveis e o futuro não está preestabelecido no momento do vestibular. Eu acredito que tornar este momento mais leve o torna menos conflituoso”, avalia Vanina Cruz, psicóloga e coordenadora do curso de Psicologia da Anhanguera.


A profissional que também explica que o afastamento entre os estudantes imposto pela pandemia – o que acabou prejudicando a troca de experiência no ambiente escolar – pode ampliar esse sentimento de medo da escolha dar errado. “É importante enfatizarmos que a pandemia trouxe para praticamente todas as pessoas a sensação de incertezas e os estudantes tiveram consequências diretas no seu cotidiano como o fato de ficarem sem contato um com os outros, intensificando as dúvidas sobre qual carreira seguir, qual seria mais adequada e aliada aos projetos pessoais, uma vez que a própria elaboração de projetos pessoais foi impactada”, completa.


Em apoio aos estudantes que estão se preparando para enfrentar um vestibular, como o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o dia 24 de maio foi instituído como o Dia Nacional do Vestibulando. Abaixo, confira algumas dicas da psicóloga Vanina que ajudam a amenizar o sentimento de insegurança na escolha da faculdade e do curso de graduação.


Comece analisando o que você gosta de estudar

Um jeito interessante para dar o primeiro passo é pensar nas áreas ou disciplinas com as quais você tem maior afinidade ou facilidade durante o período escolar. “Por exemplo, se você ama estudar Matemática e Física, cursos da área de Exatas, como Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo e Ciência da Computação, podem ser uma excelente aposta. Já quem tem mais facilidade com Linguagens, Sociologia, História e Geografia, pode se dar bem em um curso da área de Humanas, como Direito, Psicologia ou Administração”, explica.


Depois de fazer essa reflexão, você pode começar a pesquisar os cursos da área que mais se adequa ao seu perfil. Porém, também é importante considerar aspectos como: As oportunidades em termos de empregabilidade e renda que cada curso oferece; seus gostos e habilidades pessoais.


Faça testes vocacionais

Existem diversos testes vocacionais na internet. O Educa Mais Brasil, maior plataforma de incentivo educacional do país e parceiro do R7, possui em seu site uma aba só para os estudantes testarem suas habilidades e quais os cursos que mais combinam com elas. Ao final do teste, além das opções de curso que são a cara dos alunos, a plataforma indica bolsas de estudo com até 70% de desconto em faculdades e universidades que se encaixam no perfil do aluno. 


Converse com seus colegas

A troca é sempre bem-vinda e saudável. Conversar sobre possibilidades, dizer o que gosta de fazer e o que não gosta, são caminhos que facilitam escolhas, pois torna o momento menos tenso. Assim, o jovem divide com amigos as suas dúvidas, temores e anseios, além de poder conhecer opções que não tinha parado para pensar antes.


Pesquise sobre áreas de interesse e profissionais de referência

Faça uma pesquisa sobre as áreas que você mais se interessa, assista vídeos, leia reportagens, pesquise também sobre profissionais de referência nessa área. A internet possibilita inúmeras informações que podem ser favoráveis e, para isso, busque sites seguros e confiáveis.


Bacharelado, licenciatura ou curso tecnológico?

Os cursos do tipo bacharelado costumam ter duração mais longa (entre 4 e 6 anos) e dão ao aluno uma formação mais generalista. Já as licenciaturas são voltadas para quem deseja lecionar e costumam ter duração entre 3 e 4 anos. São a melhor escolha para quem quer ser professor. Os tecnólogos, por sua vez, têm duração mais curta (de 2 a 3 anos) e oferecem uma formação mais prática ao aluno, visando sua rápida inserção no mercado de trabalho. Vale dizer que alguns cursos são oferecidos no grau de bacharelado e licenciatura, como Educação Física, Pedagogia e Letras.


E, por fim, crie uma boa rotina de estudos

Esse é um momento de preparação, então é favorável a adoção de medidas no seu dia a dia que favoreçam o bem-estar. Estabelecer uma rotina de estudos com pausas e intervalos, evitar dispersão com uso de celular/redes sociais enquanto estiver estudando, dormir bem, optar por uma alimentação equilibrada e saudável, praticar alguma técnica de relaxamento, como exercícios de respiração e meditação, fazer atividades físicas, ingerir bastante água. Essas dicas são muito simples e igualmente eficazes para uma rotina mais organizada e menos impactada pelo estresse.


Fonte: Agência Educa Mais Brasil

Fonte: R7

Continue lendo

Educação

Banco do Brasil cria manual de segurança digital para seus clientes

Publicado

em

A segurança digital tem sido objeto central de muitas discussões na sociedade, uma vez que a disseminação dos bancos digitais tem aumentado as modalidades de golpes.

Em vista do fato citado acima, o Banco do Brasil criou o Guia de Segurança, manual exclusivo da instituição, com dicas para auxiliar seus clientes a se protegerem de inúmeros tipos de golpes e fraudes da internet e na proteção de seus dados. Confira abaixo:

Banco do Brasil disponibiliza manual de segurança digital para seus clientes

Sendo assim, ao acessar o Guia de Segurança do Banco do Brasil, o usuário fica inteirado sobre as soluções do banco para garantir a segurança de seus clientes. O BB também disponibilizou, no material em questão, dicas importantes acerca dos principais golpes financeiros da atualidade e medidas de segurança para lidar com essas situações no dia a dia.

Logo nas primeiras páginas do manual, o leitor tem acesso aos ‘’mandamentos de segurança’’ do Banco do Brasil. Veja:

1. Não compartilhe suas senhas com terceiros;
2. Crie senhas difíceis de adivinhar;
3. Utilize sempre o domínio oficial do BB;
4. Desconfie de links recebidos por e-mail, mensagens de texto e redes sociais;
5. Evite usar redes wi-fi públicas ou serviços de VPN gratuitos;
6. Mantenha o antivírus instalado e atualizado;
7. Baixe aplicativos apenas de lojas oficiais;
8. Não entregue seu cartão a ninguém;
9. Antes de emprestar dinheiro solicitado por mensagem, ligue e confirme com a pessoa que pediu;
10. Verifique sempre o destinatário antes de fazer transferências, PIX ou pagamentos.

Para além disso, o Guia de Segurança do Banco do Brasil também trata sobre outros temas. Entre esses temas estão inclusos os seguintes tópicos: cadastramento de dispositivos, limites de movimentação, central de senhas, BOT do banco no WhatsApp e tecnologia QR Code.

Assim, o Guia de Segurança do BB se mostra uma leitura obrigatória aos usuários antenados e curiosos, mais uma ferramenta útil no desafio diário de navegar o ambiente digital e suas novas tecnologias.

Fonte: R7

Continue lendo
Publicidade


Mais lidas

Subscribe for notification