Connect with us

Cinema

Ator de Senhor dos Anéis detona Os Anéis de Poder: ‘Caça-níquel’

Avatar photo

Publicado

em

O ator Bernard Hill, que interpretou o rei Théoden na trilogia de O Senhor dos Anéis, não é fã da série Os Anéis de Poder, derivada da franquia lançada pelo Prime Video neste ano. “É um caça-níquel puro e simples, eu não tenho interesse em participar disso ou mesmo de assistir”, detonou o veterano.

“Boa sorte a todos eles, mas não é como a coisa de verdade [os filmes]”, continuou o ator de 77 anos em entrevista ao jornal britânico Metro. Sem papas na língua, Hill criticou até mesmo a produção dos três longas de O Hobbit, dirigidos por Peter Jackson –o mesmo cineasta responsável pelos longas originais.

“Eles já estavam forçando a barra quando fizeram O Hobbit, que é um livro tão pequeno. Fizeram bem, muito bem. Expandiram a história, mas você só consegue esticar um elástico até certo ponto. Tinham coisas muito boas lá, sem dúvidas”, disse ele, afirmando que, na opinião dele, a saga deveria ter acabado nos três primeiros filmes.

Questionado sobre a atração do Prime Video, Bernard Hill afirmou que se recusa a ver Os Anéis de Poder e que sequer faz ideia de qual é a trama narrada na superprodução, que se tornou a série de TV mais cara da história –apenas a primeira temporada custou US$ 400 milhões (R$ 2 bilhões) para a Amazon. O plano dos produtores é contar a trama ao longo de cinco anos –até o momento, só o segundo foi confirmado.

Apesar de outros atores de O Senhor dos Anéis não terem se pronunciado contra ou a favor a existência de Os Anéis do Poder, alguns dos principais nomes do elenco foram às redes sociais para confrontar haters racistas que estavam criticando a presença de personagens negros na série.

Em seu perfil no Twitter, Elijah Wood (Frodo) apareceu ao lado de Billy Boyd (Pippin) e Dominic Monaghan (Merry) vestindo camisetas que mostram orelhas de criaturas da Terra-Média em diferentes tons de pele. Acima da imagem, a frase “Todos são bem-vindos” estava escrita em élfico. Sean Astin (Sam) também apareceu usando um boné com a mesma estampa.


Fonte: uol.com.br

Cinema

Mulher-Maravilha aparece em trailer de Shazam! Fúria dos Deuses

Avatar photo

Publicado

em

Gal Gadot vive a heroína no cinema

O novo trailer de Shazam! Fúria dos Deuses confirmou a presença da Mulher-Maravilha de Gal Gadot no filme da DC.

Com o marketing sendo iniciado pela Warner Bros em outros países, o trailer japonês mostra algumas cenas inéditas do longa.

Continua depois da publicidade

Na marca de 48 segundos, é possível ver a Mulher-Maravilha segurando o cajado de uma das vilãs, enquanto um raio sai dele (via Comic Book Movie).

Vale ressaltar que as vilãs do novo filme são filhas de Atlas, um dos titãs condenados por Zeus na mitologia grega.

Veja o trailer, abaixo.

Mais sobre Shazam! 2

Em Shazam! Fúria dos Deuses, Zachary Levi reprisa o seu papel como Shazam, personagem que também era conhecido como Capitão Marvel em histórias em quadrinhos mais antigas.

Zachary Levi vai retornar ao papel principal, bem como os atores Asher Angel, Jack Dylan Grazer, Grace Fulton, Djimon Hounson, entre outros.

Por sua vez, as atrizes novas que foram escaladas, Helen Mirren, Lucy Liu e Rachel Zegler, viverão as antagonistas do filme.

A direção novamente é de David F. Sandberg, enquanto o roteiro é de Chris Morgan, conhecido pela franquia Velozes e Furiosos.

Shazam! Fúria dos Deuses (Shazam! 2) estreia no Brasil em 16 de março.

Shazam! está disponível na HBO Max.


Fonte: uol.com.br

Continue lendo

Cinema

‘Batem à Porta’: Shyamalan tenta recuperar o ouro de ‘O Sexto Sentido’ – 02/02/2023

Avatar photo

Publicado

em

M. Night Shyamalan é um dos poucos diretores que operam de forma independente, mesmo lançando filmes por grandes estúdios. O motivo é um só: cada trabalho novo é acompanhado pela expectativa de recapturar o gênio na garrafa que foi “O Sexto Sentido”, um fenômeno de bilheteria que em 1999 cravou sua marca na cultura pop.

“Batem à Porta” segue a mesma linha que se tornou assinatura do cineasta. É um suspense carregado menos pela trama e mais pelos personagens, que antevê uma reviravolta em seu clímax. É também o segundo filme de Shyamalan, depois de “Tempo”, que não segue um roteiro original, e sim a adaptação de outra obra.

O casal Eric (Jonathan Groff) e Andrew (Ben Aldridge) leva sua filha adotiva de 7 anos, Wen (Kristen Cui), para uma temporada de férias em uma cabana na floresta. O idílio é rompido pela chegada de quatro estranhos, liderados por Leonard (Dave Bautista), que dizem estar cumprindo uma missão: a família precisa escolher um de seus membros como sacrifício ou o mundo vai acabar.

É inegável a habilidade de Shyamalan em extrair o máximo de suspense de uma permissão tão tênue. O elenco superlativo ajuda a “vender” o conceito, e não raro o filme levanta a dúvida se os visitantes são um quarteto de lunáticos ou se os desastres então mostrados na TV são de fato o prenúncio do apocalipse.

Essa montanha-russa narrativa seria mais eficiente se tivesse sido mais acentuada. Tramas paralelas, como Andrew reconhecendo um dos intrusos (interpretado por Rupert Grint) como um homofóbico que o atacou uma década antes, não adicionam nenhum tempero à história.

O diretor M. Night Shyamalan confere a câmera no set de ‘Batem à Porta’

Imagem: Universal

Há de se admirar, entretanto, a insistência do diretor em navegar o atual cenário do cinema pop, dominado por marcas, espetáculos e propriedades intelectuais, com um filme de menor escala. Enquanto seu trabalho, ao menos desde seu respiro recente com “A Visita” (2015), seguir com produções modestas que rendem dez vezes seu orçamento, quem banca a conta não tem motivos para não esperar um novo “O Sexto Sentido”.

“Batem à Porta” ainda não é este filme. Embora seja bom entretenimento, falta a ele o tipo de impacto que o eleve acima de um thriller eficiente. A tensão está lá, aliada à mão firme de Shyamalan. Mas lhe falta um clímax mais corajoso. É um trabalho sujo mais alguém tem de fazê-lo: o final do livro é melhor.


Fonte: uol.com.br

Continue lendo

Cinema

Sinopse da 3ª temporada indica romance entre Penelope e Colin

Avatar photo

Publicado

em

Colin e Penelope de Bridgerton

Foi divulgada (via Screen Rant) uma detalhada – e longa – sinopse da 3ª temporada de Bridgerton, que indica um romance entre Penelope (Nicola Coughlan) e Colin (Luke Newton).

Confira abaixo:

Continua depois da publicidade

“Bridgerton está de volta para sua terceira temporada e mostra Penelope Featherington finalmente desistindo de sua paixão de longa data por Colin Bridgerton, depois de ouvir suas palavras depreciativas sobre sua última temporada. Ela, no entanto, decidiu que é hora de arranjar um marido, de preferência um que lhe proporcione independência suficiente para continuar sua vida dupla como Lady Whistledown, longe de sua mãe e irmãs. Mas, sem confiança, as tentativas de Penelope no mercado matrimonial falham espetacularmente.

Enquanto isso, Colin volta de suas viagens de verão com um novo visual e um grande senso de arrogância. Mas ele fica desanimado ao perceber que Penelope, a única pessoa que sempre o apreciou como ele era, o está tratando com indiferença. Ansioso para reconquistar sua amizade, Colin se oferece para ser o mentor de Penelope para ajudá-la a ter mais confiança e encontrar um marido nesta temporada. Mas quando suas aulas começam a funcionar um pouco bem demais, Colin deve questionar se seus sentimentos por Penelope são realmente apenas amigáveis, enquanto a crescente presença de Penelope na sociedade torna ainda mais difícil manter seu alter ego Lady Whistledown em segredo.”

Quando retornar para sua 3ª temporada, Bridgerton não terá a presença de Phoebe Dynevor, que interpreta Daphne. A atriz recentemente confirmou sua saída da série.

MasvVale lembrar que a Netflix já renovou Bridgerton para a quarta temporada, e a atriz já havia confirmado que gostaria de participar da série novamente em um futuro próximo.

Mais sobre Bridgerton na Netflix

A produção acompanha a história da Família Bridgerton, um clã de aristocratas vivendo em Londres durante o período da Regência, no início do século XIX. Mesmo durando poucas décadas, a Regência é conhecida como uma época de grandes avanços e tendências diferenciadas nas belas-artes, arquitetura, moda e etiqueta.

A primeira temporada de Bridgerton foca principalmente na primogênita dos Bridgerton: Daphne. A jovem procura pelo amor verdadeiro e um casamento à altura após ser apresentada à sociedade em 1813 pela Rainha Charlotte.

Enquanto lida com as expectativas da elite, Daphne é obrigada a lidar com os escandalosos boatos divulgados pela Lady Whistledown, a misteriosa autora de um “boletim de fofocas” publicado semanalmente. Na segunda temporada, o foco passa para Anthony.

A terceira temporada de Bridgerton não tem data para estrear na Netflix.

Fonte: uol.com.br

Continue lendo
Publicidade


Mais lidas