Connect with us

Saúde

6 mitos e verdades sobre a asma que você precisa saber!

Publicado

em

Pneumologista esclarece as principais questões sobre a doença

A asma surgiu no último ano como uma comorbidade Covid-19 (doença de risco). Desde então, muito se tem ouvido falar da doença, bem como dos seus sintomas, riscos, e tratamentos.

 Para dar mais visibilidade ao assunto, celebra-se a 21 de Junho o Dia Nacional de Controlo da Asma. A intenção é suscitar debates sobre a patologia, com o objetivo de ajudar aqueles que dela sofrem e de alertar para os seus perigos.

 De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), 262 milhões de pessoas no mundo vivem com asma, e 3% a 10% destes doentes têm a doença na sua forma mais grave. Os dados mostram também que houve mais de 46 mil mortes devido a este problema respiratório a nível mundial. A nível nacional, o Brasil tem 20 milhões de pessoas com asma.

 “Neste mês de Junho, no início do Inverno, enquanto ainda enfrentamos muitos casos de Covid-19, precisamos mais do que nunca de refletir sobre a importância de respirar bem”, diz o Dr. Rafael Faraco, pneumologista, que aponta mitos e verdades sobre a doença.

 Mitos e verdades sobre a asma que precisam de ser conhecidos!

 1 – A obesidade pode causar o aparecimento da asma: VERDADE!

 “Os estudos sugerem que a ação inflamatória do tecido adiposo, pertencente ao excesso de peso, pode levar ao desenvolvimento de inflamação nas vias respiratórias e, como consequência deste processo, a asma”, explica o especialista.

 2 – A asma é uma doença contagiosa: MITO!

 Rafael assegura que uma pessoa não pegará a doença quando viver com um asmático, uma vez que a sua causa é o resultado de diferentes fatores, desde os alérgicos até genéticos.

 3 – O Inverno pode agravar os ataques de asma e outras doenças respiratórias: VERDADE!

 O médico explica que este agravamento é causado pelo hábito de permanecer mais tempo em lugares fechados, com pouco sol e mais umidade. Assim, a proliferação do bolor e do míldio aumenta, alimentando os ácaros.

 4 – A asma pode desaparecer por si só ou ser curada: MITO!

 “A gravidade da doença varia de pessoa para pessoa. Os ataques da asma podem desaparecer com o tempo, principalmente se houver um tratamento adequado. No entanto, a doença não desaparece completamente, porque é uma doença crónica que pode ser tratada, mas não há cura”, diz Rafael.

 5 – Os asmáticos não podem ter animais de estimação: MITO!

 A resposta do pneumologista fará felizes aqueles que gostam de ter um animal de estimação: as pessoas com asma podem, sim, ter animais de estimação! No entanto, ele alerta para algumas necessidades, tais como a limpeza e para garantir que o animal não desencadeará crises alérgicas no doente.

 6 – Os doentes com asma grave são prioritários para a vacinação contra a Covid-19: VERDADE!

 “Esta ideia serve também como um aviso àqueles que subestimam ou desconhecem esta doença que, se não for tratada adequadamente, não só compromete a saúde e a qualidade de vida do doente, como também pode levar à morte”, explica o profissional.

 Ele também nos lembra a importância da imunização anual contra a gripe em pacientes com asma moderada a grave de qualquer faixa etária, é uma medida fundamental para a redução das crises da doença, especialmente num cenário de saturação 2 dos serviços de saúde devido ao aumento do número de casos de Covid-19.

Fonte: Rafael Faraco, pneumologista e membro da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT).

Saúde

Três doses da vacina em crianças de até 5 anos mostram eficácia de 80%

Publicado

em

Covid-19: Três doses da vacina em crianças de até 5 anos mostram eficácia de 80%

Os laboratórios apontaram que a vacina Pfizer aplicadas em crianças são seguras e mostram uma forte resposta imunológica. Os estudos estão na fase 2/3 e inclui em torno de 1.678 crianças, durante o período em que a variante Ômicron estava predominando no mundo. Estudos informam que as doses aplicadas em crianças (no caso 3), produziu uma resposta semelhante a 2 doses entre os jovens de 16 a 25 anos. As empresas disseram que três doses para esta faixa etária mais jovem foram “bem toleradas” e nenhum sinal novo de segurança foi identificado.

O CEO da Pzifer, Albert Bourla, disse em um comunicado que: “Esses dados de segurança, imunogenicidade e eficácia de primeira linha são encorajadores, e esperamos concluir em breve nossas submissões aos reguladores globalmente, com a esperança de disponibilizar esta vacina para crianças mais novas o mais rápido possível, sujeita à autorização regulatória”


            Vacina Covid-19 (Foto: Agência Brasil )


As doses aplicadas em menores, a dosagem é menor do que a utilizada em maiores de 12 anos. Maiores de 12 anos, recebem 30 microgramas e crianças de 5 a 12 anos, recebem de 10 microgramas. Ambas as faixas etárias são aptas para receber dose de reforço. Já a vacina de crianças de 6 meses a 5 anos, é de três doses de 3 microgramas.

Estes testes, foram realizados de forma simultânea nos Estados Unidos, Finlândia, Espanha e Polonia, quando a variante Ômicron estava em circulação e foram envolvidas mais de 9 mil crianças.

De acordo com o diretor da BioNTech, o envio da documentação necessária, será enviado para a agência regulatória americana e na mesma semana, será enviado para Agência Europeia de Medicamentos (EMA, na sigla em inglês).

No Brasil, a vacinação contra a Covid-19, só está liberada a partir dos 5 anos de idade e a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) informou que não recebeu solicitação da Pzifer no Brasil para indicar a vacinação em menores de 5 anos.

 

Foto Destaque: Vacina recomendada pela OMS (OrganizaçãoMundial da Saúde) / Reprodução: G1


Fonte: r7.com

Continue lendo

Saúde

Cidades brasileiras têm aumento de casos de Covid

Publicado

em

Cidades brasileiras têm aumento de casos de Covid - 19, especialistas recomendam uso de máscaras

Nesta segunda-feira (23) o órgão de vigilância epidemiológica de Santa Catarina anunciou a queda de vacinações nas cidades brasileiras e o aumento de casos e mortes pelo vírus da Covid-19.

A lista dos lugares que foram e continuam sendo afetados são as cidades do interior de São Paulo como São Bernardo Do Campo,  Londrina no estado do Paraná, Poços de Caldas em Minas Gerais e Canoas no Rio Grande Do Sul. 

Com o crescimento de casos e de 115 mortes pelo coronavírus registrado nesta quinta-feira (19), especialistas recomendam a retomada do uso de máscaras em ambientes fechados como em escolas, transportes públicos, estabelecimento de saúde, como também em restaurantes.
 
A recomendação geral para os grupos mais vulneráveis ao vírus como idosos e pessoas com problemas respiratórios é manter o uso de máscaras em todos os ambientes. 

A terceira dose da vacina contra o coronavírus entre os jovens continua abaixo da média, que é considerada satisfatória. As crianças de 6 a 11 anos  de idade só 60% tomaram a primeira dose e 32%  têm o esquema vacinal completo. A terceira dose mais de 80% das pessoas acima de 65 anos conseguiram completar as vacinas. A quarta dose só foi aplicada em 17% da população brasileira com mais de 80 anos.  


 

Laboratorio para realizações das pesquisas (Foto: reprodução/ Pixels)


A Fiocruz enfatiza a preocupação com o crescimento da estagnação no processo de vacinação populacional adulta com a terceira dose. Os dados apontam que as pessoas acima de 25 anos só concluíram 80% do esquema vacinal. 

O órgão de vigilância epidemiológica de Santa Catarina, após emitir a importância do uso das máscaras, divulgou que a contaminação vem aumentando entre bebês e crianças de até 5 anos de idade que não podem ser vacinadas.

Para o pediatra Salmo Raskin a única atitude viável para esse momento  é o responsável inserir o uso da máscara para evitar uma infecção ou reinfecção pelo vírus da Covid-19,  principalmente neste momento de baixas temperaturas que há variantes. 

Foto detaque: Mulher se protegendo com o uso da máscara. Reprodução/ Pixels


Fonte: r7.com

Continue lendo

Saúde

Imprensa britânica publica fotos de premiê brindando em festa durante confinamento – Notícias

Publicado

em


Novas fotografias do primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, bebendo em uma festa de despedida em sua residência oficial de Downing Street foram publicadas, reacendendo as acusações da oposição de que o governante violou as próprias regras de lockdown contra a Covid-19.


As imagens, obtidas pela ITV News, foram feitas em uma reunião para homenagear o então diretor de Comunicações de Downing Street, Lee Cain, que estava de saída do cargo em novembro de 2020, um evento anteriormente investigado pela polícia por potenciais violações da lei.


As fotografias mostram Johnson fazendo um discurso e pedindo um brinde, com um copo meio cheio nas mãos, diz a ITV.


Naquela época, grandes reuniões com pessoas fora da própria residência estavam proibidas após a Inglaterra ter entrado novamente em regime de lockdown nacional por conta do aumento de casos de Covid-19.



A Reuters não conseguiu verificar de forma independente quando ou onde as fotos foram feitas. O gabinete de Johnson disse que a polícia teve acesso a todas as informações durante a investigação, incluindo fotos.


Johnson não foi multado por participar do evento em novembro de 2020, embora tenha recebido uma notificação de punição fixa por uma reunião em Downing Street para comemorar seu aniversário em junho daquele mesmo ano, um evento que, segundo ele, não durou mais de dez minutos.


O primeiro-ministro pediu desculpa pelo que classificou como um erro, mas se recusou a renunciar por causa da questão.


Fonte: r7.com

Continue lendo
Publicidade


Mais lidas

Subscribe for notification